Pular para o conteúdo principal

Receitas x Despesas - Maio/18

Resultado de imagem para financas

Não faço um fechamento mensal há alguns meses. Não tinha noção da saudade e do bem que isso me fazia. Saber para onde vai cada centavo do orçamento é muito gratificante. Através dele posso saber aonde está o pinga-pinga da torneira financeira. Este mês, por exemplo, foi bem desafiador. Os detalhes serão postados no decorrer do texto. Vamos lá:

Receitas


Então, vamos entender esse extra, tive uma receita não-recorrente, totalmente surpresa, que não esperava de forma alguma. Explico, início do ano paguei o ITBI + Cartório do imóvel atual (meus queridos, pensem na facada...). Acontece que, a consultoria calculou para mais o valor e após acerto de contas, sobrou um troco para mim. Dinheiro esse que eu já considerava perdido. Então, pensem na minha felicidade quando soube dessa graninha :)

Além disso, efetuei a venda de um jogo.  Coloquei tudo no mesmo bolo de extra, para não complicar muito. Sobre os salários, sem novidades, tudo correu dentro do esperado. Como refiz minha carteira de investimentos neste mês, não tenho rendimentos a incluir. E o aluguel, ainda irei receber, a primeira mordida é da imobiliária.

Despesas




Casa (33%): Gastos com residência foram bem elevados. Passarei o ano pagando móveis, ainda tenho mais alguns para projetar também. Então, os gastos devem ficar nesta média. Nessa categoria, estão inclusos, prestação, condomínio, energia, móveis, seguro residencial, diarista e serviços.

Aporte (19,6%): Este aporte aconteceu graças à receita não-recorrente, Sem ela, acho que teria aportado menos de 5% do salário. Fiz um bom uso da mesma, comprando algumas cotas de JSRE11 e VISC11. 

Saúde (12,2%): Categoria mais desafiadora do mês. Minha esposa vem sendo acometida por uma doença crônica. E tudo piorou justamente na mudança de plano de saúde (plano anterior absurdamente caro), quando ficamos sem carência para consultas. Só para terem ideia, metade dos gastos desta categoria foi voltado somente para consultas médicas e medicamentos. 

A saúde dela está bem melhor. Vem apresentando melhora considerável a cada dia que passa. O sentimento que fica é que não adianta ter dinheiro, ter casa, carro... não adianta ter nada se a gente não tiver saúde. Faça exercícios físicos, check-up periódicos, enfim, cuide de você e dos seus , sempre.

Imposto de renda (9,0%): Resolvi fazer diferente neste ano, aproveitei o menor nível histórico da SELIC e parcelei a mordida do leão. A sensação de impotência é indescritível. Assistir, sem poder fazer nada, quase 10% do meu salário indo pro ralo todo mês. Nossa, como dói. Estou digitando e dá vontade até de chorar um pouquinho... 

Brincadeiras a parte, é o governo sempre puxando o cidadão para baixo. É a vida meus amigos.

Alimentação (8,0%): Gastos absurdos com saídas para comer. Todo mês isso acontece e todo mês reclamo, rss. Neste maio que passou, pelo menos tenho uma justificativa, minha esposa estava adoentada e eu acabava descontando na comida.

Despesas pessoais (5,6%): Gastos com familiares, compras esporádicas e presentes.

Transporte (5,3%): Nesta categoria temos combustível e estacionamentos. Está numa média aceitável. 

Lazer (5,1%): Iniciamos um esporte novo (estava parado há meses), comprei um jogo e voltei a pagar o clube Smiles, após uma promoção relâmpago que rolou na semana passada.

Internet/Celular/IPTV (2,2%): Duas linhas controle, a internet residencial e a lista de IPTV (sei que é errado pagar IPTV porém, mais errado ainda seria pagar R$ 200,00 por mês só para assistir Discovery).

Carteira de investimentos
Esta é minha humilde carteira atualmente, reiniciando do zero. Sempre gostei de FIIs e assim continuo neste rumo. Seguem abaixo os preços-médios:

JSRE11: R$ 106,32
VISC11: R$ 107,09

Então, gastei uma horinha organizando as finanças, deixo a sugestão para que todos façam o mesmo, afinal, ou você controla seu dinheiro ou ele controlará você! Um grande abraço a todos e sucesso!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A semi-independência financeira

Gostei muito de criar este blog. Sinto que quando escrevo, fico mais comprometido com meus objetivos. Ler e reler os posts dá um certo gás. 
Percebo também que não estou sozinho. Somos diversos buscando a mesma conquista. O mais interessante disso tudo será ler esses textos daqui a 2-3 anos. E notar a evolução. Certamente ela acontecerá.
Partindo agora para o assunto principal do post, está na hora de ser honesto comigo mesmo. Meu mindset mudou com mais de 30 anos. Cheguei nos 30 num piscar de olhos, imagine então quão próximo estou para ser quarentão.
O que significa isso? Menos tempo terei para alcançar o que almejo. Como resolver isso? Aportando mais. O problema é que não moro mais com meus pais, já sou casado e tenho compromissos financeiros que não existiriam se ainda morasse com eles.
E pensar que eu passei quase 10 anos fazendo cagadas financeiras... Não dá para consertar 10 anos em 10 dias. Porém, podemos tentar usar uma super-cola e ver no que vai dar.
E aqui chegamos num po…

Decisão sobre o apê

Primeiramente, obrigado a todos que comentaram no último post. É muito bom ter a visão de diversas pessoas que entendem de finanças. Além de que, duas cabeças costumam a pensar melhor que uma.

Tirando todo o emocional em quitar a dívida, a coisa mais sensata a se fazer é aguardar a carência acabar para utilizar novamente o FGTS. Lá pelos meados de 2018.
Com isto em mente, não tenho necessidade em mexer nos papéis que já possuo. As amortizações serão realizadas, exclusivamente, com dinheiro novo. 
De início, pretendo direcionar dinheiro para o apartamento mês sim, mês não. Intercalando os meses com aportes. Se o plano for bem executado, em julho terei finalizado esta etapa da minha vida.
Esqueci o PPP (pagamento de parte da prestação) de mão. Ele é mais direcionado para quem precisa respirar durante o ano. O FGTS já rende tão pouco, se eu ainda deixar ele ser consumido por juros...
Minha esposa está muito feliz com a decisão de mudarmos de casa. Na realidade, ela ainda está meio sem a…

Estudando os colegas de trabalho

Como comentei no meu primeiro post, minha fonte de renda provém de dois vínculos. Cada vínculo possui uma certa particularidade, tanto em relação ao trabalho em si, quanto em relação às pessoas.
Não irei focar no trabalho, hoje irei falar sobre as pessoas. Notei algo bem interessante e que vale a pena compartilhar com vocês.
No vínculo 1, possuo colegas de trabalho na faixa de 35-45 anos. Casados e com filhos em sua grande maioria. Possuímos alguns PCs para ajudar a desempenhar nossas atividades profissionais. E não raro, utilizamos para lazer no tempinho vago.
É comum ter sites como submarino, mercado livre e diversos outros sites de compras salvos na barra do navegador. Dificilmente converso sobre investimentos com os colegas do vínculo 1. 
Muitos deles reclamam do governo, da inviabilidade da reforma da previdência, acham que a aposentadoria deve ser responsabilidade do Estado. E é comum efetuarem o pagamento de imposto de renda de forma parcelada (pagando juros).
Agora, vamos fal…