Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Janeiro, 2020

BB zera taxa de custódia para investimentos em ações, ETFs e FIIs

O Banco do Brasil anunciou ontem (20) que zerou a taxa de custódia para investimentos em renda variável. O banco cobrava R$ 15,00 para manter ativos em custódia dos correntistas. Segundo comunicado, o BB destaca a tendência do mercado em reduzir custos para investimentos na Bolsa de Valores e a busca para melhores rentabilidades, incluindo para o pequeno investidor. Uma ótima notícia para correntistas do BB (eu, inclusive). Infelizmente, o banco ainda cobra taxa de corretagem de R$ 20,00 por ordem, inviável para o investidor pessoa física, que dispõe atualmente de inúmeras opções de corretoras com taxa zero. Mesmo assim, estamos sentindo a mudança, caso o banco venha a zerar corretagem no futuro, estarei muito tentado a transferir toda minha custódia de renda variável para ele.

ETF's no Brasil: o seu guia definitivo

Este texto tem como objetivo auxiliar os novos CPF's da Bolsa de Valores. No final de 2018, éramos apenas 800 mil investidores (pouco, perto de uma população de 210 milhões de brasileiros). Em outubro de 2019, subimos para 1,5 milhão de investidores (o dobro, praticamente). Existem diversos fatores que levaram a esse aumento expressivo, dentre eles, podemos elencar: - Queda da taxa SELIC, atingindo fundo histórico de 4,5 % ao ano; - Aprovação da reforma da previdência e expectativas de mais reformas; - Expectativas também do fim da guerra comercial entre EUA e China; - Taxa de desemprego seguindo em queda. Dentro deste cenário, o investidor brasileiro precisou se mexer. Quem investia em 2015/2016 conseguia retornos expressivos sem correr muitos riscos, visto que a taxa SELIC estava em 14,25% ao ano. No cenário atual, os investimentos não estão mais tão simples assim. Quem busca uma rentabilidade um pouco mais elevada precisa correr mais riscos. É o prêmio risco

Reflexões sobre investimentos, a vida e tudo mais

Esse último mês foi lindo, né? IFIX batendo mais de 20 pregões de topo, IBOV subindo a cada dia que passa, SELIC no fundo do gráfico, poutz, aconteceu coisa para caramba! Queria estar feliz com todos esses acontecimentos, e de início, fiquei realmente porém com o passar dos dias fui me preocupando. Como comentei alguns posts atrás, voltei a fazer minha carteira de investimentos e praticamente metade dela está em renda variável. Os yields dos Fundos Imobiliários já não são tão atrativos, até mesmo entrar em FII hoje em dia está complicado porque tudo, TUDO subiu. Um pequeno exemplo ALZR11, quase R$ 50,00 acima do meu preço-médio. E não é exceção porque XPML11, CEOC11, MALL11 também subiram e estão na minha carteira. Na real? Inventa qualquer sigla e bota 11 no final que ela sobe. Pode testar aí. As ações também estão em frenesi. Quem tem varejo na carteira está sorrindo à toa (mesmo com a decepção desse último trimestre). Magalu então, rumo ao infinito e além. Caral