Pular para o conteúdo principal

Postagens

E o custo de vida no Brasil?

Sugiro que todos abram o Spotify e botem para tocar The Power of Love, porque é exatamente o que estou fazendo nesse momento.  E aproveitem e pesquisem Cobra Kai no You Tube que a série está muito boa!

Então colegas de finasfera, olhando o consumo deste mês, percebi como está caro viver no Brasil. A classe média cada vez mais pressionada por conta dos impostos, alguns com retorno zero. Escola pública, Sistema Único de Saúde e transporte público são apenas algumas categorias em que somos capazes de utilizar apenas em último caso. Abro um parênteses para transporte público pois depende da cidade em que cada um reside. Na minha cidade é horrível, não tem malha de metrô, dependemos única e exclusivamente de ônib
Postagens recentes

Plano B

Gosto de guiar minha vida por objetivos. Tipo como se fosse uma fase de Super Mario World. Vamos passando fase por fase, objetivo por objetivo, subindo um degrau após o outro.

O plano B, por motivos óbvios, não é tão bom quanto o plano A. Afinal de contas, se fosse bom, não seria B, seria A, concordam? Então a gente vai ajustando conforme a vida vai caminhando.
Costumo a dizer que para um plano dar certo, ele precisa ter falhas. São nas falhas e nos erros que aprendemos lições valiosas. Quando tudo vai muito certinho, não costumamos a olhar para trás procurando outra saída ou outro rumo.
Lembram da era nostálgica das lan houses? Eu era doido e fissurado por um jogo de estratégia chamado Warcraft 3. E a cada jogo finalizado, eu tinha o costume de olhar os replays para entender aonde estavam meus erros ou acertos. Claro que eu observava com mais atenção os jogos em que perdia. Os jogos em que eu vencia não me ensinavam muito.
É igual na vida.
Planejei focar por cinco anos na dívida imo…

Deu vontade de escrever

Sim, estou vivo e não, ainda não estou rico ahah! 
Minha vida anda bem apesar dos desafios financeiros deste ano, cada dia após o outro fica um aprendizado. Já estou com medo de virar, no futuro, aqueles velhos chatos que sabem de tudo sobre a vida.
Vou fazer uma rapidinha sobre minha vida atualmente, afinal, foram quase doze meses sem postar:
- Quem acompanhou meus últimos posts do ano passado sabe que estava tentando uma mudança de unidade. Lembram como eu andava estressado com os plantões noturnos?
Pois é e não é que eu consegui, rapaz? Eu mesmo já tinha perdido as esperanças e dado como causa perdida. No final, tudo deu certo e rolou a transferência de unidade.
Continuo trabalhando bastante, acordando mais cedo ainda, porém com menos stress, menos cobranças e, o principal, durante o dia, não mais pela noite. Minha esposa mesma percebeu como eu estava diferente após quase doze meses na nova unidade.
E realmente, como fez diferença.
- Certo momento comentei aqui que nosso foco seri…

Checando os números de novembro

Hoje estou com o domingo livre e resolvi fazer algo que gosto bastante: realizar contas e mexer com tabelas. Este texto é uma forma de incentivar os investidores que estão iniciando. Também considero uma forma de incentivar a mim mesmo, para continuar focado pelos anos vindouros. Comecei meus investimentos em renda variável em Junho/17 e foi um ano de bastante aprendizado. Finalizei o ano com a carteira totalmente vendida, estava com posições muito favoráveis, então preferi realizar o lucro. No início do ano, mudamos de residência, então, o dinheiro foi muito bem utilizado.
Vamos ver o gráfico de renda passiva de 2018 então:
Certo, de vermelho estão os rendimentos do imóvel físico que possuo. E de azul, rendimentos recebidos (em sua maioria) de Fundos Imobiliários. Em janeiro, fiz uma pequena carteira de fundos de recebíveis, da qual não me arrependo, vendi as posições com lucro e ainda tive essa rendinha no mês. Existe um hiato de 4 meses sem investimentos, justamente a época em que…

Voltando aos aportes

Seis longos meses pagando imposto de renda. Uma dor eterna que parece não ter fim. Mas acabou, DARFs foram pagos, agora é respirar tranquilo pelos próximos seis meses e focar no que importa. Pro próximo ano, irei parcelar em no máximo 3 vezes, mesmo que eu me lasque todinho para pagar. É aquele tipo de obrigação que quanto mais rápido acabar, melhor.
Então, hora de rever objetivos. Com a venda do automóvel, batemos a meta de reduzir o financiamento para menos de 300 meses até o final do ano. Atualmente, a dívida imobiliária não está me incomodando muito. Uma dívida que custa 0,88% ao mês de juros, não é algo de outro mundo. Sim, existe o fator psicológico, muitos anos de compromisso, porém, por incrível que pareça, estou tranquilo a respeito.
Um dos motivos é que, nossa renda passiva já bate quase metade dos juros mensais que pagamos. No caso, a renda que possuímos é de um imóvel alugado e de uma recém-criada carteira de FIIs. O yield mensal da carteira está em torno de 0,66% ao mês.…